Bispo Elisiário 1369 visualizações 2012-08-07 08:53:09 unknown

É sabido de todos nós que uma pessoa só é dona de sua propriedade que adquiriu quando ela é detentora da documentação correta, tal como exigem as leis vigentes. Do contrário tal pessoa pode ser dona de fato, mas não de direito. Quando nos atemos aos valores espirituais, chegamos à conclusão, que não é suficiente dizermos que somos religiosos, que temos fé em Deus, que somos seguidores de Jesus, ou até mesmo confessarmos a nossa esperança na vida eterna, quando os nossos atos atestam o contrário. Ninguém melhor do que Jesus para chamar a atenção daqueles que se urfanavam de suas práticas religiosas, mas que estavam vazias dos princípios fundamentais, que devem reger a vida de todo aquele que se dispõe a servir a Deus.  “Aí de vós, escribas e fariseus, hipócritas, porque dais o dízimo da hortelã, do endro e do cominho e tendes negligenciado os preceitos, ais importantes da Lei: a justiça, a misericórdia e a fé; porém, fazer estas coisas sem omitir aquelas!” (Mt. 23.23). Seguindo este mesmo princípio, entendemos que isso também aplica-se a igreja em nossos dias, uma vez que o cristianismo vai tornando-se desacreditado por culpa daqueles que se dizem cristãos. Entendo que corrigir o curso das coisas não é uma tarefa fácil, mormente, porque temos muitas previsões bíblicas sobre o que aconteceria nos últimos dias, onde a fé genuína tornar-se-ia rara, tal como já começamos a presenciar, uma vez que não são poucos os que a sacrificam em troca de uma posição mais cômoda no meio em que vive a fim de não serem molestados pela pressão deste século que sempre manterá sua posição contra os preceitos divinos. Sim, mas para falar com franqueza, digo que a minha grande preocupação, tem a ver com a família wesleyana, uma vez que a mesma está inserida neste contexto de relativismo, permissividade, e tudo mais que tem a ver com as inovações que surgem prometendo recompensa imediata  em detrimento dos valores eternos, ou seja, que estão em consonância com os princípios do Reino de Deus. Em face a tudo isso, resta-nos a conclamar a todos aqueles que fazem parte da IMW, a que não se contentem em dizer que são membros desta Igreja, mas que tragam em seu modo de vida, um compromisso sério de honrarem este nome, sobre tudo, porque entendemos ser parte do corpo de Cristo, e para tanto devemos ter a santidade como estilo de vida, a fim de louvarmos a Deus e assegurarmos a nossa entrada nos céus. Que o Senhor nos ajude!

Sobre o autor

Bispo Elisiário

Superintendente Geral da Igreja Metodista Wesleyana e bispo da primeira região eclesiástica