Pastor Marcos Batista de Oliveira 1159 visualizações 2012-09-05 12:41:56 unknown

Tenho percebido por parte de muitos pastores, colegas aos quais tanto amo, certos olhares como se da minha parte não houvesse nenhum sentimento de solidariedade pelo fato de não saberem trabalhar com a tecnologia da informática. Mas isso não é verdade. No entanto, os tempos modernos exigem que nos valhamos dos recursos que a vida coloca à nossa disposição, para aperfeiçoarmos os procedimentos e avançarmos na agilização de resultados. Na administração, não podemos abrir mão da tecnologia da informação. Não podemos pensar em oraganização; controle; interatividade na troca de informações; tabulação de dados e avaliação dos marcos referenciais da Igreja, nos valendo dos mesmos recursos de outrora; os tempos mudaram; os procedimentos também. Isso exige de nós uma nova configuração na maneira de agir e encaminhar as coisas. Se antes nos dávamos por contentes em tabular os dados da Igreja e analizá-los apenas de 6 em 6 anos, hoje, diferentemente, precisamos entender que isso é muito pouco. Nos deixará aquém de tudo que está ocorrendo à nossa volta. De igual modo se pensarmos que se alguém necessita de alguma informação, então que mande uma carta por Correios a um setor tal daquela Região em questão, para que então se dirija ao SD tal, que busque o pastor X, que por sua vez, se reportará ao departamento tal para informar quantas pessoas do sexo tal fazem parte dele. Ufa!!! Depois disso, se a informação por ventura tiver chegado lá como partiu da ponta inicial, então que se faça todo o caminho de volta até a fonte de origem. Bom, não preciso dizer que depois de tudo, a "inês" é morta. Em qualquer nível de gestão, desde à igreja local, as coisas precisam sim estar logo ali, à mão. De modo que a um toque de dedos, se obtenha os resultados pretendidos, no campo da informação. Se um gestor estiver sobrevoando a Ásia, do avião ele consiga obter dados de qualquer setor da sua área de trabalho, ao toque de um dedo. É nesse rumo que estamos andando. Os usuários mais atentos podem observar mudanças substanciais sendo implementadas. E outras tantas estão a caminho. Ainda agora estamos desenvolvendo uma nova versão do PAE ONLINE e outra do programa das Comissões. Assim, as igrejas locais e as Comissões poderão obter relatórios mais satisfatórios às suas necessidades e planejar melhor suas ações, com base neles. Para isso, alguns passos precisam ser dados: 1- cada pastor, por mais que isso lhe pareça difícil, procure uma escola de informática e solicite para fazer um curso básico.  2- Quem já o fez, solicite um a nível intermediário. 3- Se já o tem, faça agora o avançado. Sabendo que com o nível básico você já poderá navergar na internet. 4- De tudo, em sua igreja existem pessoas que podem ajudá-lo a navegar no sistema. Peça ajuda a elas. 5- Alimente sempre o banco de dados do nosso sistema. Faça lançamentos diários e imprima relatórios segundo a sua necessidade. 6- Atualize sempre o cadastro da igreja com todas as informações ali solicitadas. Se não detectou a data certa da organização da igreja, procure uma data aproximada. 7- Matenha o cadastro do pastor em ordem. Principalmente seus contatos. Da nossa parte, a CGIE sempre estará aqui à sua disposção. Pr Marcos Batista - CGIE

Sobre o autor

Pastor Marcos Batista de Oliveira

Presidente da CGIE